Transporte de sangue: tudo que você precisa saber sobre o assunto!

Posted by: fulltimelogistica Comentários: 0

A prestação de serviços logísticos é uma atividade complexa, que depende da execução correta de várias etapas para garantir o seu sucesso. Esse fator fica ainda mais evidente no transporte de sangue, por se tratar se um material que exige cuidados especiais para a sua movimentação e conservação.

As amostras são coletadas para diversos fins, como a realização de diagnósticos, tratamentos e prevenção de doenças. Por esse motivo, as normas que regem esse processo são elaboradas com o intuito de proteger a saúde pública.

Com isso em mente, elaboramos este guia para apresentar as principais informações sobre esse processo e quais práticas ajudam a aumentar a segurança e a eficiência.

Continue lendo para conhecer todos os detalhes!

Qual a importância do transporte adequado de amostras de sangue?

A resposta para esse questionamento é a manutenção da sua qualidade. Isso ocorre porque testes e exames não podem ser feitos se a amostra está comprometida de alguma forma. Isso faz com que os resultados não sejam confiáveis o que, por sua vez, afeta o diagnóstico e o tratamento dos pacientes.

Por esse motivo, toda a cadeia deve estar empenhada na prestação de um serviço de alto padrão de cuidado e atenção às regras da vigilância sanitária, do Ministério da Saúde e dos órgãos de fiscalização.

O que a vigilância sanitária diz a respeito do transporte de sangue?

As regras e as exigências para o transporte de sangue e seus componentes são criados de forma detalhada e divulgados por órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Hemocentro.

Atualmente, a norma nacional que rege o transporte desse material é Portaria Conjunta Anvisa/Ministério da Saúde n° 370/2014, que abrange as regras que devem ser seguidas por todas as entidades envolvidas. Tais regulamentações descrevem:

Contratação de uma empresa de transportes

Sob o ponto de vista desse material, o transporte pode ocorrer por meio de frota própria do laboratório, desde que atendidos todos os requisitos. Além disso, há a opção de terceirizar essa etapa da operação.

Por isso, o gestor que busca contratar uma transportadora deve verificar se todos as exigências são atendidas. A principal delas é a infraestrutura da frota, que deve ser adaptada para a alocação do material biológico de maneira correta. Refrigeração e segurança são elementos essenciais para a circulação de amostras.

Do mesmo modo, o registro junto ao órgão da vigilância sanitária também deve estar em dia, bem como a aprovação nas inspeções periódicas. Também, existe a demanda por empresas especializadas no transporte de amostras laboratoriais. Portanto, dedique tempo para pesquisar qual é a melhor opção para essa parceria.

Como o transporte de sangue deve ser feito?

Ao considerar o transporte de mercadorias, é relevante lembrar de que cada tipo de material requer condições diferentes para conservação e proteção. No caso das amostras de sangue, as propriedades biológicas devem ser mantidas para garantir a viabilidade para análise.

Assim, essa operação precisa obedecer a diretrizes rígidas no que diz respeito a manuseio, cadeia de frio e protocolos para transporte. Portanto, listamos alguns aspectos que devem ser considerados por quem busca contar com o apoio de uma transportadora.

Documentação das amostras

Toda circulação de materiais requer a emissão dos documentos referentes à natureza da carga e com o transporte de amostras de sangue não é diferente. Como essas amostras precisam ser acompanhadas desde o momento da coleta até a análise final, é fundamental conhecer o que pode ser cobrado em caso de fiscalização rodoviária.

A responsabilidade da emissão é do expedidor — ou seja, quem envia as amostras — ou do transportador. O primeiro requisito é registrar as informações referentes ao destinatário, a sua localização e o responsável pelo material biológico.

O veículo também deve estar corretamente identificado e com as recomendações quanto à conservação da carga. O emissor também deve declarar que se trata de itens perigosos, qual é a classificação do risco e os cuidados que devem ser adotados durante o manuseio.

Embalagem e armazenamento

A escolha da embalagem pode variar de acordo com o modal de transporte, o tipo de risco referente à amostra e a quantidade do material. Por outro lado, alguns padrões devem ser seguidos na maioria dos casos. Geralmente, são três tipos de embalagens principais:

  • embalagem primária ou interna: é o recipiente que está em contato direto com o material biológico, podendo ser tubo de amostra ou, até mesmo, bolsas de sangue. Deve ser rotulado para identificar a origem do material coletado;
  • embalagem secundária ou intermediária: fica no exterior da embalagem primária e pode ser saco plástico ou caixa de PVC. O material deve ser sempre impermeável e à prova de vazamentos;
  • embalagem terciária ou externa: constitui o invólucro usado para proteger a carga durante a movimentação e a armazenagem. A sua principal característica é a rigidez para proteger as demais embalagens, por isso, os materiais mais usados são papelão e PVC.

É importante destacar que existe a possibilidade de reúso da embalagem, desde que seja possível a desinfecção e a limpeza entre cada viagem.

Cuidados durante o manuseio

No momento do embarque e do desembarque das amostras, os operadores devem tomar todas as precauções necessárias para preservar a carga e a sua segurança física. Para alcançar esse objetivo, é preciso usar equipamentos de proteção individual (EPI) e fornecer equipamentos de proteção coletiva (EPC) para toda a equipe.

Luvas, jalecos e máscaras de proteção são elementos essenciais para que o material possa ser inspecionado corretamente. Esse fator se torna ainda mais relevante quando consideramos quais cuidados devem ser tomados durante o período de quarentena.

Escolha do veículo ideal

A vigilância sanitária não exige um tipo de veículo específico, ou seja, fica a critério da transportadora escolher a alternativa mais adequada de acordo com as necessidades de seus clientes. Contudo, o compartimento de carga deve ser adaptado para garantir que as embalagens possam ser fixadas, para evitar movimentos excessivos e vazamentos.

A higienização do veículo também deve ser prioridade, para evitar a contaminação dos contêineres e proteger a equipe responsável pelo manuseio. Quanto à frota, é importante fazer manutenções preventivas, para que o veículo esteja em perfeitas condições de trafegar.

Quais as melhores práticas para fazer esse transporte?

O transporte de cargas é uma atividade que requer aperfeiçoamento para permanecer competitiva e eficiente. Esse é um elemento que ajuda a atender os clientes com qualidade e agrega valor aos serviços. Por esse motivo, é recomendado implementar as melhores práticas disponíveis.

Treinamento da equipe

A formação e a conscientização de todos os envolvidos no processo de movimentação de amostras de sangue é fundamental para a execução das atividades. Essa prática ajuda a disseminar as regras relacionadas a embalagem, identificação e preparação para o transporte.

Esse é um fluxo que envolve diversos profissionais e departamentos, com o intuito de garantir a movimentação correta dos itens. Com isso em mente, é recomendado que tanto laboratórios como transportadores incentivem a disseminação de conhecimentos sobre:

  • as características do material a ser transportado
  • a avaliação da documentação da carga;
  • as fases do processo de acondicionamento;
  • a compreensão dos rótulos;
  • a conduta adequada durante o processo.

O cumprimento de cada uma dessas etapas resulta em profissionais mais qualificados e competentes para lidar com as demandas do processo de movimentação de amostras laboratoriais.

Conservação das amostras

A capacidade de análise dos laboratórios depende da qualidade e da conservação das amostras. Por esse motivo, as embalagens desempenham papel de destaque nesse processo.

Um dos princípios é garantir que as especificações e os materiais aplicados sejam compatíveis com o tipo de material a ser transportado. Por exemplo, bolsas de sangue são o recipiente para transfusão desse material nos hospitais, já tubos são adequados para a coleta de sangue em laboratórios, clínicas e hospitais.

Tais medidas são implementadas em todas as fases do processo, para minimizar o risco de exposição desse material a condições adversas. Por isso, o material biológico deve ser mantido em condições protegidas, respeitando o isolamento térmico, para mantê-lo seguro durante o trajeto até seu destino final.

Foco na biossegurança

A biossegurança é um conjunto de técnicas e metodologias de trabalho desenvolvidas para minimizar os riscos da análise de amostras biológicas, entre elas, as de sangue. O seu objetivo é garantir que laboratórios e prestadores de serviço de transporte estejam aptos a lidar com imprevistos e fazer o gerenciamento adequado.

Entre as ações que devem ser implementadas está o relacionamento com órgãos fiscalizadores e autoridades de saúde pública, para articular o compartilhamento de informações essenciais.

Isso também envolve os equipamentos e a atuação da equipe responsável pela inspeção, manuseio e acondicionamento das amostras. Além disso, essa atividade também foca nas regras estabelecidas para a limpeza e higienização desde os materiais usados até o veículo.

Planejamento da entrega

Esse é um aspecto comum do processo de distribuição de cargas. Contudo, o transporte de amostras deve contar com cuidados adicionais. Nesse cenário, o planejamento da viagem requer a definição da rota, com o intuito de otimizar o tempo de entrega.

Por isso, laboratórios e transportadoras devem avaliar qual é o prazo mais adequado de acordo com as suas necessidades. Para isso, basta considerar qual será a distância a ser percorrida pelo veículo, as condições das vias e o tráfego.

Quais são os erros que devem ser evitados no transporte de sangue?

Em primeiro lugar, devemos destacar que a incidência de erros pode causar problemas graves tanto para o laboratório como para a empresa de transporte. Contudo, é importante estar sempre atento a quais são as principais falhas, para que medidas de prevenção possam ser implementadas.

Um desses problemas tem relação com o embarque e desembarque das embalagens. Essa é a etapa na qual a maioria das avarias são causadas, o que pode provocar danos aos invólucros.

Ainda nesse tópico, o uso de embalagens inadequadas também pode piorar essa situação, já que o material não é resistente o suficiente. A justificativa para essa prática é a redução dos custos, contudo, a empresa não pode buscar economia às custas da segurança.

Outra situação comum é a alocação incorreta da carga. Por via de regra, materiais biológicos não podem transitar no mesmo compartimento que outros produtos. essa situação geraria uma contaminação grave com prejuízos para todos os envolvidos.

Por isso, a recomendação é usar veículos dedicados a esse tipo de transporte, para garantir que todos os requisitos de segurança sejam atendidos. O nosso último exemplo ocorre quando a carga não é entregue no seu destino. Os casos de extravio prejudicam toda a operação, pois o material foi perdido ou descarregado no local errado.

Isso faz com que a entrega se torne mais longa, comprometendo, assim, a viabilidade da amostra. Esse erro também afeta a imagem da transportadora, que não demonstra confiabilidade ao fazer as entregas.

Todos esses cenários devem ser tratados como riscos potenciais, o que exige a criação de planos de contingência para a correção e a prevenção.

Como a Full Time pode auxiliar no transporte adequado de sangue?

Ao contratar um parceiro logístico, é essencial buscar empresas com qualificação e experiência necessária para lidar com esse tipo de material. Essa é uma especialização que a maioria das empresas de transporte de cargas não dispõe, o que aumenta a procura no mercado.

Pensando nisso, a atuação da Full Time Logística é pautada por critérios rígidos e procedimentos de trabalho confiáveis, que vão além da movimentação de materiais biológicos. A nossa operação conta com profissionais qualificados com ampla experiência no mercado.

Por fim, este texto é baseado em aprendizados coletados no decorrer dos mais de vários anos atendendo a laboratórios de análises clínicas, bancos de sangue e hemocentros. O nosso objetivo é criar uma parceira vantajosa e duradoura com base em eficácia, agilidade e melhorias tecnológicas. Isso revela o compromisso com a melhoria contínua do processo de transporte de sangue e a otimização de todas as etapas.

Você pode contar com a nossa experiência e confiabilidade para suprir essa necessidade. Para saber mais sobre os nossos serviços, acesse o nosso site e entre em contato com uma de nossas filiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishFrenchPortugueseSpanish
×